terça-feira, 2 de outubro de 2018

Caminhando com Claras e Franciscos

V Caminhada Ecológica - Caminhando com Claras e Franciscos
Espiritualidade do cuidado da Criação

Todos os anos as igrejas cristãs de todo o mundo se unem para celebrar a campanha ecumênica “Tempo da Criação” que inicia no dia 1º de setembro, Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, e segue até 4 de outubro, a festa de São Francisco de Assis.

Em 1989, a Igreja Ortodoxa proclamou o 1º de setembro como o Dia Mundial de Oração pela Criação, e, desde então, muitas outras igrejas cristãs se juntaram e o dia foi expandido para ser uma temporada, até 4 de outubro, na data da Festa de São Francisco de Assis. Em 2015, o Papa Francisco também instituiu na Igreja Católica Romana o "Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação" na data de 1º de setembro. Tanto o dia 1º de setembro, como a temporada que vai até 4 de outubro, é dedicado ao comprometimento e oração pela criação. 

Na Diocese Meridional da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil o Tempo da Criação culmina com a Semana Francisclariana, onde o Movimento Francisclariano realiza uma caminhada ecológica entre os municípios de São Antônio da Patrulha e Caraá. A caminhada é denominada “Caminhando com Claras e Franciscos” e percorre aproximadamente 5 quilometro em área rural nas proximidades da nascente do Rio dos Sinos. O nome do evento quer chamar a atenção de que hoje as pessoas que caminham juntas em defesa da criação são como Francisco e Clara de Assis que viveram em harmonia com a natureza e com Deus. 

Este ano, o tema do Tempo da Criação é “Caminhando juntos” e a Caminhada Ecológica “Caminhando com Claras e Francisco” vai abordar o tema: Espiritualidade do cuidado da Criação. E, como já é tradicional, a caminhada acontecerá entre o Ponto Missionário Emanuel na localidade de Evaristo (Santo Antônio da Patrulha) até a Missão do Advento na localidade de Quebrada do Rio dos Sinos (Caraá), onde será servido o almoço ao meio dia, seguindo na parte da tarde com uma roda de conversa sobre espiritualidade e a celebração de encerramento ao ar livre, na beira do Rio dos Sinos, as 16 horas.

Durante a Caminhada será refletido o tema da espiritualidade da criação em seis momentos, com ênfase na: 1) biodiversidade, 2) terra, 3) água, 4) mudanças climáticas, 5) simplicidade e sustentabilidade, 6) cuidado. Cada parada terá leitura bíblica, reflexão, hinos e orações.

Tempo para a Criação - Movimento Franciscano / Diocese Meridional
www.tempoparaacriacao.blogspot.com.br

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Caminhando com Claras e Franciscos

Dia 07 de Outubro de 2017 - Santo Antônio da Patrulha e Caraá

O Retiro Francisclariano e Caminhada Ecológica “Caminhando com Claras e Franciscos”, é promovido pela Diocese Meridional desde 2013 e acontece entre o Evaristo (Santo Antônio da Patrulha) e Quebrada do Rio do Sinos (Caraá).

Neste ano a caminhada será integrada ao encontro de formação do CEA (Centro de Estudos Anglicanos), com o tema: “Justiça, Paz e Integridade da Criação”, tendo como assessor o biblista do CEBI, Ildo Bohns Gass.

Durante a caminhada acontecerão sete paradas, onde cada uma terá um tema específico para reflexão e oração.
As reflexões e orações serão preparadas pelo Movimento Francisclariano, com intervenções do assessor Ildo Bohns Gass, que também vai trabalhar o tema geral na chegada na Comunidade Missão do Advento, no Caraá.

Temas para as sete paradas:
1) Acessibilidade e inclusão (Animador/a: Luciméia)
2) Ecofeminismo (Animador/a: Carmem)
3) Povos tradicionais e culturas ameaçadas (Animador/a: Humberto)
4) Saúde natural e orgânica (Animador/a: Luciméia)
5) Crianças e Idosos (Animador/a: Fátima)
6) Contemplação (Animador/a: Pilato)
7) Serviço, diaconia (Animador/a: Pilato)

Programação:
7:00 horas: Saída de Porto Alegre (pátio da Diocese/Setek/Ascensão)
8:30-9:00 horas: Acolhida e café na Comunidade Emanuel (Evaristo)
9:00 horas: Início da caminhada na Comunidade Emanuel (Evaristo)
11:30-17:horas: Encontro na Missão do Advento (Caraá)
12:00 horas: Almoço
16:00 horas: Celebração de encerramento com a comunidade local

Confirmar presença e reservar lugar no ônibus até dia 4 de outubro pelos telefones:
(51) 33186009 / 3318.6199 / 3318.6031 / 985463317 (Whats)

Movimento Francisclariano 
Terceira Ordem da Sociedade de São Francisco (TSSF)
Diocese Meridional – Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Tempo da Criação 2017

Comunhão para responder ao grito da terra e ao grito dos pobres
Pessoas cristãs se unindo para rezar e cuidar da integridade da criação

O Tempo da Criação, que acontece todos os anos entre 1º de Setembro e 4 de Outubro, é uma campanha do Conselho Mundial de Igrejas convidando a 2,2 bilhões de pessoas cristãs a cuidar da criação e orar por ela. 
O dia 1º de setembro, foi proclamado como o Dia de Oração pela criação (ou seja, o dia da Criação) pelo Patriarca Ecumênico Dimítrios I, em 1989, e em 2001 foi assumido por diversas outras grandes Igrejas cristãs, entre elas a Comunhão Anglicana que tem como uma das suas cinco marcas de missão: “Lutar para salvaguardar a integridade da Criação, sustentar e renovar a vida na terra”. Em 2016, através do Papa Francisco, a Igreja Católica Romana assumiu o 1º de setembro como Dia da Criação.
Nos últimos anos, muitas igrejas cristãs começaram a celebrar o Tempo da Criação entre essa data e 04 de outubro, que é a festa de São Francisco de Assis. Cada vez mais cristãos e cristãs estão se unindo para rezar e cuidar da criação em todas as partes o mundo (http://pt.seasonofcreation.org).
A Diocese Meridional, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, preparou alguns recursos de oração contemplando todos os domingos do Tempo da Criação, incluindo o Domingo e a Semana das Pessoas com Deficiência, que foi celebrado no final de agosto. A Campanha do Tempo da Criação em nossa Diocese é estendida com a Semana Franciscana, onde acontece a Caminhada Ecológica “Caminhando com Claras e Franciscos” no dia 7 de outubro.
O objetivo é formar “comunhão para responder ao grito da terra e ao grito dos pobres”.


RECURSOS LITÚRGICOS PARA O TEMPO DA CRIAÇÃO 2017

Domingo, 27 de Agosto – Domingo Diocesano das Pessoas Com Deficiência
12º Domingo depois de Pentecostes [Próprio 16, Tempo Comum 21]
Êxodo 1:8-2:10; Salmo 124; Romanos 12:1-8; Mateus 16:13-20
Tema: “Pessoa com deficiência: direitos, necessidades e realizações”
Entre os dias 21 a 28 de agosto, é celebrado, em todo o Brasil, a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, com o objetivo de ressaltar a importância de entender e discutir conceitos, ideias, sugestões e temas relacionados com a vida de pessoas com deficiência. E a Diocese Meridional celebra o último domingo de agosto como o Dia Diocesano das Pessoas com Deficiência.
Segue abaixo um recurso litúrgico elaborado pela Reverenda Eva Arrieche.

COLETA DO DIA DIOCESANO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

O Senhor seja com vocês.
Seja também contigo
Oremos.
Senhor nosso Deus e nosso Pai de infinito amor. Neste dia, especialmente, chegamos a ti para agradecer o cuidado e todo o amor que tens dispensado aos nossos irmãos e irmãs com deficiência. E pedimos-te ainda, Senhor, que toques com esse amor o coração de tantos outros irmãos e irmãs para que deem à essas pessoas a oportunidade de seguirem seus caminhos sem maiores obstáculos além daqueles que já existem em suas vidas e que, com o teu amor, aprenderam a superar. Por teu filho e nosso Senhor Jesus Cristo e o Espírito Santo, um só Deus agora e sempre. Amém.

Sexta-feira, 1º de Setembro – Dia da Criação e abertura do Tempo da Criação:
Neste dia as comunidades cristãs são convidadas a se unirem para agir e orar em favor da criação. Cada comunidade poderá usar de sua criatividade, especialmente se unindo com outras igrejas para celebrar o Dia da Criação e fazer a abertura da campanha Tempo da Criação.

Domingo, 03 de Setembro – Primeira Semana do Tempo da Criação
13º Domingo depois de Pentecostes [Próprio 17, Tempo Comum 22]
Êxodo 3:1-15; Salmo 105:1-6, 23-26, 45b; Romanos 12:9-21; Mateus 16:21-28
Tema: Ancestralidade, valores e saberes.
Segue abaixo um recurso litúrgico.

CONFISSÃO DE PECADOS

Confessemos a Deus os nossos pecados:
Deus, Pai e Mãe, fonte e defesa da vida, que em tudo tem nos mostrado amor e misericórdia, confessamos a ti e a nossos irmãos e irmãs e diante de toda a criação, que pecamos quando deixamos de amar e respeitar nossa ancestralidade. Pecamos quando esquecemos a sabedoria do amor e do cuidado, quando abandonamos valores e princípios que garantiam a sustentabilidade, o equilíbrio da vida no Planeta. Hoje a vida degradada, espoliada expressa os sinais dos nossos pecados. E assim, iniciamos o Tempo da Criação buscando a tua misericórdia e o teu amor que perdoa e transforma nossas vidas.

Deus, que tem o poder de criar a vida, que é fonte do amor que cuida e da misericórdia que restaura, perdoa nossas falhas com a criação, cura nossas mazelas e nos conduza no caminho da justiça, da paz e da sustentabilidade da vida. Amém.

Quinta-feira, 7 de Setembro – Dia da Pátria – Grito dos (as) Excluídos (as)
Neste dia somos convidados a participar das atividades do Grito dos (as) Excluídos (as) que tem como lema “Por direitos e democracia, a luta é todo dia!” e tema “Vida em primeiro lugar”. O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular carregada de simbolismo, é um espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos. Em 2017, o 23º Grito dos (as) Excluídos (as) chama a atenção da sociedade para a importância de salvaguardar a democracia e os direitos do povo e lutar contra a corrupção política que tornou o Brasil um verdadeiro mar de lama.

Domingo, 10 de Setembro – Segunda Semana do Tempo da Criação
14º Domingo depois de Pentecostes [Próprio 18, Tempo Comum 23] 
Êxodo 12:1-14; Salmo 149; Romanos 13:8-14; Mateus 18:15-20.
Tema: Alimentação e Saúde – o cuidado da vida das pessoas e do Planeta.
O Recurso litúrgico está em anexo

Domingo, 17 de Setembro – Terceira Semana do Tempo da Criação
15º Domingo depois de Pentecostes [Próprio 19, Tempo Comum 24]
Êxodo 14:19-31; Salmo 114 ou Êxodo 15:1b-11, 20-21; Romanos 14:1-12; Mateus 18:21-35.
Tema: Mulher, Gênero e Juventudes
Para o culto deste Domingo ou final de semana é indicado incluir nas intercessões a Oração pela eliminação da violência contra as mulheres e lembrar a 4ª Marca Anglicana da Missão: “Procurar a transformação das estruturas injustas da sociedade, desafiar toda a espécie de violência, e buscar a paz e a reconciliação”. O Recurso litúrgico está em anexo.

Os recursos litúrgicos para os dias 24 de setembro, 1º, 04 e 08 de outubro serão enviados nos próximos dias. Os materiais foram elaborados pelo Movimento Francisclariano e Comunidade da Terceira Ordem da Sociedade de São Francisco (TSSF) da Diocese Meridional da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB). Informações: 51 985463317, pilatopereira@gmail.com

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Mutirão de limpeza e preparação para trilhas ecológicas

Nesta quinta-feira de Corpus Christi foi dada continuidade ao trabalho de limpeza do mato da Diocese Meridional, conforme compromisso assumido pelo Movimento Francisclariano. 
Ao longo dos anos, nem sempre as pessoas tiveram consciência ecológica e o patrimônio ambiental foi desrespeitado com o descarte de lixo. No mês de maio, alguns paroquianos da Ascensão iniciaram a limpeza e nesta quinta, dia 15 de junho aconteceu o mutirão do Movimento Francisclariano, liderado pelo bispo diocesano, Dom Humberto Maiztegui.
O trabalho consiste em retirar todo o lixo inadequado ao ambiente, ordenar o lixo orgânico e organizar trilhas ecológicas.
***
Nossa gratidão a todas pessoas que participaram deste mutirão, que reuniu mais de 10 voluntários ecológicos. Ainda temos muito por fazer.🌎
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, planta, barba, atividades ao ar livre e natureza  A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé, árvore, sapatos, atividades ao ar livre e natureza 
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé, árvore, sapatos, atividades ao ar livre e natureza  A imagem pode conter: planta, árvore, flor, atividades ao ar livre e natureza
A imagem pode conter: árvore, planta, flor, atividades ao ar livre e natureza

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

O direito dos Animais

Caminhada Ecológica - 08 de outubro de 2016

A Caminhada Ecológica “Caminhando com Clara e Francisco”, promovida pelo Movimento Francisclariano e TSSF da Diocese Meridional, igreja Episcopal Anglicana do Brasil aconteceu no dia 8 de outubro entre Santo Antônio da Patrulha e Caraá. O início da caminhada foi na comunidade do Evaristo (Ponto Missionário Emanuel) e o encerramento se deu na Quebrada do Rio do Sinos (Missão do Advento). Tendo como tema geral: “Rezar e cuidar da criação, juntos, a caminhada” contou com sete paradas, sendo em cada uma delas refletido sobre um dia da criação. 
Segue aqui a reflexão da 5ª parada, animada pela Postulante Melanie Elisabeth Strauch

5ª Parada:
Tema: Deus criador e defensor da vida;
Recursos naturais, dom de Deus;
O direito dos Animais 
Animador/a: Melanie 

Gênesis 1:20-23
“Deus disse: ‘Que as águas fiquem cheias de seres vivos e os pássaros voem sobre a terra, sob o firmamento do céu’ E Deus criou as baleias e os seres vivos que deslizam e vivem na água, conforme a espécie de cada um, e as aves de asas conforme a espécie de cada uma. E Deus viu que era bom. E Deus os abençoou e disse: ‘Sejam fecundos, multipliquem-se e encham as águas do mar; e que as aves se multipliquem sobre a terra’. Houve uma tarde e uma manhã: foi o quinto dia”.

REFLEXÃO
No quinto dia Deus criou os animais que vivem nas águas e que voam nos céus e viu que era bom. Deus os criou livres para que se multiplicassem e enchessem as águas, a terra e os céus!
Esta 5ª parada tem o propósito de refletirmos sobre os animais e sobre como eles vivem hoje. Talvez tenham pessoas que descordem ou duvidem do que vou falar, a estas eu peço somente que escutem e reflitam em oração! Talvez tenham pessoas que fiquem chocadas, me perdoem, pois não é esta a intenção! Mas, nenhuma palavra dita, refletirá suficientemente a crueldade humana para com os animais! E, nem terei tempo de falar de todas as maldades humanas!
Vamos refletir sobre a situação na qual os animais vivem hoje e o que nós podemos fazer! Mesmo que eu não mate ou maltrate algum animal, será que não estou sendo conivente com as crueldades, ou até cúmplice daquelas pessoas que provocam as maldades? Como motivação inicial, lembro das palavras escritas em Provérbios 12:10: “O justo tem consideração pela vida dos seus animais, mas as afeições dos ímpios são cruéis”.
Já existem muitas pessoas sensibilizadas com a causa animal. Mas, a grande maioria destas pessoas que dizem ser protetoras de animais, concentram suas atenções somente na proteção de cães e gatos. Muitas pessoas se comovem quando veem algum cachorro ou gato abandonado. Muitos procuram lares para estes bichinhos, levam a clínicas veterinárias, ou então levam para casa...!
Mas, ajudar a cães e gatos abandonados, faz de nós protetores de animais? Certamente não, isto é ser protetor de cães e gatos! Não estou querendo reduzir sua importância, mas digo que não é o suficiente! Existem muitas outras espécies que precisam e clamam por nosso auxílio! Existem muitos animais que estão perdendo seu habitat normal, tendo dificuldades para encontrar alimento; muitos estão sendo brutalmente usados em rodeios e circos; muitos estão sendo usados cruelmente em testes de laboratório; muitos são criados precariamente para nos servir de alimento; muitos sofrem e morrem por decorrência da poluição...!
Infelizmente, para algumas espécies de animais, qualquer pensamento nosso já é tarde, pois já foram extintas por consequência de atitudes humanas! Mas, podemos ajudar na redução do sofrimento animal e na preservação de muitas espécies que ainda existeme carecem dos nossos cuidados.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), existem mais de 1000 espécies de animais em risco de extinção no Brasil. Em 2014 foi divulgada uma lista oficial que relacionava 1173 espécies de animais que corriam o risco de extinção. Hoje, certamente esta lista é ainda maior!
Existem muitas causas para o desaparecimento destas espécies. Os principais exemplos são:o tráfico de animais,o desmatamento,as queimadas,a construção de hidrelétricas,rodovias, a pesca ilegal, a caça predatória e a poluição.
Estas causas afetam diretamente os animais ou o seu habitat, reduzindo suas chances de sobrevivência.O Brasil é um dos países mais ricos em biodiversidade. E,o Brasil lidera o ranking de espécies de aves em extinção. Se nada for feito para evitar, em poucas décadas, muitas espécies que existem somente no Brasil serão extintas!
Alguns exemplos de animais com risco de extinção:
Ararajubae a Arara-azul sofrem pelo tráfico de animais, pela caça ilegal e pelo desmatamento do seu habitat.
Ariranha, conhecida como lobo marinho, e a Baleia-franca-do-sul sofrem pela pesca predatória, a caça ilegal e a poluição das águas.
O Cervo-do-pantanal sofre pelo desmatamento, caça ilegal e pela construção de hidrelétricas na bacia do Rio Paraná.
O Gato-maracajá foi muito caçado para obtenção de sua linda pele e hoje sofre principalmente pelo desmatamento.
Aqui em nosso estado, nos pampas, o Lobo-guará tem enfrentando grandes problemas devido ao desmatamento.
Poderia ainda citar inúmeros outros animais que sofrem em decorrência das ações humanas: Macaco-aranha, Mico-leão-dourado, Onça-pintada, Sapo-folha, Tamanduá-bandeira, Tartaruga-de-couro e muitos outros, tod0s eles sofrem pela caça, pesca, poluição, desmatamento, queimadas, urbanização...!
Muito talvez estejam pensando, não é minha culpa, o que eu tenho haver com isto?Eu não caço nem pesco ilegalmente, não trafico animais, não estou queimando as matas, não estou poluindo os rios...! Tudo bem, você pode não estar fazendo isto diretamente, mas o que você está fazendo para evitar os danos ambientais, a morte dos animais e extinção de espécies?
Não podemos mudar o pensamento e as ações das outras pessoas, mas podemos começar por nós mesmos! Podemos refletir sobre as nossas ações e quem sabe mudar alguns dos nossos hábitos! Podemos através de nossas atitudes influenciar positivamente outras pessoas! Podemos lutar pelos direitos dos animais, lutar pela aplicação das leis já existentes, lutar pela criação de novas leis, denunciar os maus tratos...!
Muitos dos produtos que compramos foram pesquisados, produzidos, transportados, comercializados por empresas que não tem consciência ambiental, muito menos valorizam a vida e o bem-estar animal! Se não formos consumidores conscientes estamos, em muitos casos, financiando o desmatamento, as queimadas, a poluição, os testes de laboratórios em animais...! Ou seja, se não cuidarmos o que e de quem compramos, estaremos pagando não só a mercadoria, mas também financiando a crueldade e a morte de animais!

Você sabia que muitos dos produtos de limpeza,higiene, cosméticos e perfumes,possuem ingredientes de origem animal e ingredientes que foram cruelmente testados em animais?Vou citar apenas três exemplos de testes bem comuns:
Teste dos olhos: É utilizado para medir a ação nociva dos ingredientes químicos encontrados em produtos de limpeza e em cosméticos. Os produtos são aplicados diretamente nos olhos dos animais conscientes e sem anestesia! Para evitar que devido a dor arranquem seus próprios olhos, os animais são imobilizados em suportes, dos quais só aparece a cabeça. É comum que seus olhos sejam mantidos abertos permanentemente através de clips de metal, que seguram suas pálpebras. Em alguns casos os testes podem durar até 18 dias.
Irritação Dermatológica: Consiste em imobilizar o animal enquanto algumas substâncias são aplicadas nas peles raspadas e feridas.Uma fita adesiva é pressionada firmemente na pele do animal e arrancada violentamente, repetindo esse processo até que surjam camadas de carne viva. Para então as substâncias serem aplicadas sobre as feridas geradas. Observam-se então sinais de enrijecimento cutâneo, úlceras, edemas...
Teste LD 50:Este teste serve para medir a toxicidade de certos ingredientes. A prova consiste em forçar um animal a ingerir uma determinada quantidade de substância, através de sonda gástrica, que muitas vezes produz a morte por perfuração. Os efeitos observados incluem dores angustiantes, convulsões, diarreia, dispneia, emagrecimento, postura anormal, supuração, sangramento nos olhos e boca, lesões pulmonares, renais e hepáticas, coma e morte. O produto é administrado nestes animais, até que 50% do grupo experimental morra. A substância também pode ser administrada por via subcutânea, intravenosa, misturada à comida, por inalação, via retal ou vaginal. Anualmente, cerca de 4 a 5 milhões de animais nos EUA são obrigados a inalar e a ingerir loções para o corpo, pasta dental, amaciantes de roupa e outras substâncias potencialmente tóxicas.
Não todos os produtos de limpeza, higiene, cosméticos e perfumes passam por estes testes cruéis! Existem muitas empresas que encontraram caminhos alternativos para produzir de forma que seja seguro para o uso humano, e não precisam testar em animais! Se não quisermos financiar estas crueldades, precisamos cuidar o que e de onde compramos!
Mas, como saber o que e de onde comprar? Existem na internet páginas de ONGs com listas de indústrias que não testam seus produtos em animais, nem usam derivados de animais em seus produtos! Um exemploé a ONG Projeto Esperança Animal (PEA). No site desta ONG existem inúmeras informações esclarecedoras!
Em muitos países já existem o selo do coelhinho que é colocado nas embalagens de produtos que comprovadamente não foram testados em animais, nem tem derivados de animais em seus componentes. Infelizmente no Brasil ainda não existe este selo! Mas, existem muitas pessoas e ONG’s que lutam por este selo no Brasil. Será que nós, como Igreja Episcopal Anglicana, não poderíamos apoiar esta luta? Lutando por um consumo mais consciente?

Você sabia que, para ter carne em seu prato, não só aquele animal que você está comendo sofreu e morreu?
A pouco tempo atrás mencionei que existem inúmeras espécies que correm o risco de serem extintas em decorrência do desmatamento e das queimadas! Muitos talvez pensaram, eu não faço isto, não é minha culpa. Então pergunto: Você come carne? Onde você compra? Qual a origem?
Para que a criação de animais em larga escala seja possível, muitas espécies foram extintas e muitas correm o risco de desaparecerem da face da terra! Por exemplo, para que haja carne em seu prato a Onça-pintada perdeu seu lar, não tem espaço para se procriar. O habitat natural dela foi transformado em campos de pastagem. No pequeno espaço que lhe sobrou, muitos outros animais foram extintos, reduzindo assim também sua alimentação! Quando busca seu alimento nos campos, é morta pelos fazendeiros que protegem seus rebanhos!
Assim, também muitos outros animais sofrem e morrem devido ao desmatamento, decorrente da criação de animais em larga escala. Sofrem pela transformação da mata em campos de pastagem! E, como as diversas espécies dependem umas das outras, quando extinguimos uma, outras várias correm o risco de serem extintas também! Então, para que você tenha carne em seu prato, correm risco de extinção a Ararajuba, o Arara-azul, o Cervo-do-pantanal, o Gato-maracajá, o Lobo-guará, Macaco-aranha, Mico-leão-dourado, Sapo-folha, Tamanduá-bandeira e muitos outros!
Para que tenhamos carne em nossos pratos a um menor custo, muitos animais foram mantidos cativos em laboratórios. Foram usados e testados para descobrirem como produzir mais a um custo menor! Como aumentar produção em pouco tempo, como engordar os animais rapidamente..., muitos animais sofreram, principalmente para que os nossos pratos tenham carne em maior quantidade e a um menor custo! Quando compramos carne no mercado, estamos preocupados com a origem dela, como o animal foi criado e como foi abatido? Ou queremos somente saber se o preço é bom?
Muitos frigoríficos usam equipamentos precários, não treinam adequadamente seus funcionários, alguns nem recebem treinamento e ainda trabalham sob pressão, os animais antes de serem abatidos passam por momentos de muito estresse, pois deve ser algo rápido, prático, com o menor custo possível, sem muitos investimentos...! O animal a ser abatido é tratado apenas como um produto de venda, que deve gerar lucros, não como um ser vivo, criado e amado por Deus!
Uma ONG tem observado o grande sofrimento pelo qual alguns animais passavam ao entrar no corredor da morte. Por exemplo, muitos animais escorregavam nas rampas pelas quais deviam passar. Se machucavam muito, alguns até quebravam suas pernas na queda...! Muitos animais sofriam desnecessariamente na hora do abate, pois o equipamento usado para a imobilização do animal era inadequado ou não era usado corretamente.
Esta ONG não ficou calada nem parada, mas buscou uma alternativa: o abate humanitário! Esta alternativa consiste em reduzir o sofrimento animal, capacitando e treinando profissionais e oferecendo soluções simples que reduzam o sofrimento. Por exemplo, para reduzir a queda dos animais, foi implantado em muitos frigoríficos, através deste trabalho da ONG, pisos antiderrapantes e com menos inclinação.
Existem alternativas para evitar o sofrimento, a morte e até a extinção de espécies em decorrência do desmatamento?
Sim, uma alimentação vegana! Ou, pelo menos, uma alimentação com redução no consumo da carne.
Muitos certamente já estão pensando, eu preciso de carne, é necessário para a minha saúde, preciso da vitamina B12...! Vocês sabiam que as pesquisas indicam que somente 50% dos vegetarianos tem problemas com a falta da vitamina B12? E, vocês sabiam que 40% dos não vegetarianos, tem problemas com a falta da vitamina B12? Ou seja, se estás tão preocupado com a vitamina B12, mesmo que você coma carne, procure um médico e faça um exame, pois você pode estar entre os 40%! A falta de B12 em nosso corpo não é gerado pela falta de carne, mas pela falta de absorção do nosso organismo! E, existem outras fontes de B12, por exemplo nas algas marinhas, no levedo de cerveja e na cultura de bactérias em laboratório!
Retirando a carne de nossa alimentação, pode até nos trazer vários benefícios! Por exemplo, algumas pesquisas têm mostrando que pessoas vegetarianas têm menor risco de serem acometidas pelo câncer, por doenças cardiovasculares, pelo aumento da pressão arterial e à transtornos intestinais.
Alguns nutricionistas recomendam que as pessoas vegetarianas, procurem o seu auxílio para obter uma dieta mais balanceada cuidando principalmente da vitamina B12, vitamina D, o cálcio, ferro e zinco. Sendo que todos estes itens são encontrados em outros alimentos.
Muitos cristãos têm dito, Jesus não foi vegano! Ele até ajudou os seus discípulos na pesca! Mas então pergunto: na época de Jesus existia a produção em larga escala, desmatando, queimando e desertificando a terra? Eu acredito que certamente Jesus não aprovaria a forma que hoje os animais são tratados e criados para a nossa alimentação! Certamente Jesus não aceitaria que seus pés fossem lavados com perfumes que antes foram testados em animais provocando a dor e o sofrimento! Deus criou os animais e viu que era bom! Ele certamente não aprova a dor e o sofrimento provocado por nós seres humanos!
Post. Melanie Elisabeth Strauch

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Estamos no mapa dos serviços do Tempo para a Criação

Tempo para a Criação - 1º de setembro a 4 de outubro

Tempo para a Criação 2016
Rezar e cuidar da criação
Pessoas cristãs de todo o mundo oram e cuidam da criação, juntas

Em 1989, a Igreja Ortodoxa proclamou o 1º de setembro como o Dia Mundial de Oração pela Criação, e, desde então, muitas outras igrejas cristãs se juntaram e o dia foi expandido para ser uma temporada, até 4 de outubro, na data da Festa de São Francisco de Assis.
O “Tempo para a Criação” tornou-se um evento ecumênico desenvolvido pelo Conselho Mundial de Igrejas, com o objetivo unir as igrejas num chamamento para observar e viver uma temporada de oração, reflexão sobre o cuidado e o uso justo dos dons da natureza que recebemos de Deus.
Mais recentemente, em 2015, após ter lançado a Carta Encíclica Laudato Si - Sobre o cuidado da casa comum, o Papa Francisco instituiu o 1º de setembro como o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação. Cada vez mais a iniciativa do Dia ou da Temporada da Criação ganha força para conclamar as pessoas cristãs de todo o mundo a orar e cuidar da criação, juntas. Assim testemunhamos nossa fé no cuidado da criação e, da forma mais original e sincera, podemos louvar e bendizer o nome de Deus criador e defensor da vida.
O arcebispo de Cantuária, Justin Welby pediu aos anglicanos para se juntar aos cristãos em todo o mundo e tomar parte nesta campanha:
"O resultado da mudança climática não é potencialmente ruim, é potencialmente fatal, para os países e regiões do mundomais frágeis, e para os bilhões de pessoas que vivem nelas."
E o que pode ser feito durante o Tempo para a Criação?
Orar para que o Espírito Santo nos oriente nas palavras e ações em defesa da vida;
Montar equipe de planejamento de diaconia e cuidado da vida;
Procurar membros e lideranças de outras denominações cristãs em nossas cidades para propor um culto ecumênico, seguido de outras ações em conjunto. Provocar o diálogo;
Propor, marcar eventos que chamem atenção para a campanha Tempo para a Criação. Existem meios de divulgação e tudo o que for realizado, por menor que seja, é importante divulgar para contagiar mais pessoas a se somar e acreditar que é preciso orar e cuidar da criação juntos.Podem ser realizados eventos fora da data de 1º de setembro.Cada evento pode ser registrado no site <http://seasonofcreation.org>. Todo e qualquer evento que for organizado, visando a campanha, é importante que sejam convidadas pessoas para falar, orar e facilitar o debate, certificando-se de ter uma diversidade de denominações representadas, se possível.Seria importante que todo evento da campanha culminasse com uma chamada para ações concretas de continuidade. Lembre-se que é preciso avaliar e celebrar as realizadas.
AGIR PELA CRIAÇÃO: Além de orar, há uma necessidade urgente de medidas para combater a crise ecológica.
Fonte: Cristãos oram e cuidam da criação, juntos. (http://seasonofcreation.org)

Tempo para a Criação - (1º de setembro a 4 de outubro)
III Semana Franciscana da Diocese Meridional - (04 a 11 de outubro de 2016)

Retiro e Caminhada Ecológica – Caminhando com Clara e Francisco
Data: 08 de outubro de 2016
Local: municípios de Stº. Antônio da Patrulha e Caraá(entre Evaristo e Quebrada, próximo da nascente do Rio do Sinos)
Comunidades: Paróquia São Mateus, Ponto Missionário Emanuel e Missão do Advento.
Tema: Rezar e cuidar da criação, JUNTOS.

Movimento Francisclariano e TSSF - Diocese Meridional - IEAB